Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Vasco Pulido Valente e o seu espectáculo de humor

por Zilda Cardoso, em 08.03.10

 

(O Sol há-de voltar)

 

Vale a pena ler os artigos de Vasco Pulido Valente das sextas-feiras no Público. Quase sempre são certeiras as suas opiniões e expressivas e talvez fundamentadas e, embora venham de um tipo, ao que parece, maldisposto em permanência, são tremendamente divertidas.
Este que ele intitula “O espectáculo da pobreza” é típico do seu género. Infelizmente é muito provável que tenha razão: a coisa parece grave.
Como se pode escolher um de entre estes três candidatos à liderança do PSD?
Qual deles é óptimo, qual deles é bom, qual deles é menos mau? Ninguém ficará a saber pelo que mostram, pelo que dizem, pelo que fizeram e fazem e, muito menos, pelo que se diz deles.
Costumo, nestes momentos importantes, analisar com especial cuidado as feições e as expressões, as atitudes, as maneiras de estar, de falar e de rir, de vestir,… Foi o que fiz, é o que tenho feito: o resultado não é animador.
É claro que preferia, que preferíamos que fossem heróis de qualquer coisa e, por isso, merecedores da nossa confiança ou pelo menos da nossa esperança.
E não é que não seja comum não ver essas coisas boas a olho desnu. Em geral, as más vêem-se rapidamente.
Acredito, ao invés de Vasco Pulido Valente, que o PSD tem alguma coisa a dizer ao país e o país espera ainda coisas valiosas do PSD. Porém, neste momento, admito com ele que “esta campanha parece uma procissão de defuntos”. Que diabo: uma procissão de defuntos, de frivolidades e de inexactidões! Prefiro que não esteja a acontecer.
Há outra frase no artigo, todo ele cheio de humor, que muito me divertiu: “Como lhes passou pela cabeça que estavam preparados para mandar em Portugal é um puro mistério”.
Qual renovará, qual romperá, qual conservará?
“Quem os quer?” pergunta ainda Pulido Valente.
Eu pergunto: o espectáculo é para rir ou para chorar? Ou é para arrasar?

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:13


5 comentários

De Augusto Küttner de Magalhães a 08.03.2010 às 16:06

Muito oportuno mais este post.

Tenho para mim que VPV está sempre mal-disposto e nasceu e há-de morrer sempre a ter que dizer mal.

Porem, normalmente tem razão! E aí reside um tremendo problema, e como sabe não é só à 6ª f no Publico, mas também ao sabado e ao domingo! E usualmente acerta, ou melhor alerta e tem razão.

Neste caso concreto, claro que o espectaculo seria para chorar. Mesmo nada tendo a ver com PSD, ver o que estamos a ver, é trágico. Todos querem poder, todos se acham melhores.
Um dia é para dizer que são recem-chegados e novinhos em folha e ganha o Rangel. Apesar de ao que parece já ter andado pelo CDS.

No outro dia é para mostar que já lá andam há muito, e nem se entende quem conheceu melhor Sá Carneiro, que coitado é sempre e só lembrado em momento de aflição, se Aguiar Branco, se Passos Coelho.
Como é evidente vai ganhar este ultimo, bastava um dos outros desistir para não ser assim tão certo.

Mas seja quem for o futuro!!!!!!!!, nada de novo vai trazer, teria que ser menos do mesmo, em todos os Partidos, do BE ao CDS!

Razão tem VPV. Malgré!!!!

De Zilda Cardoso a 10.03.2010 às 22:05

Temos que pensar sempre que o sol voltará a brilhar amanhã. Ou num dos próximos dias.
Porém, no caso do sol, não podemos fazer nada, depende de forças que não controlamos. Nos casos da nossa vida quotidiana, teremos que nos esforçar para que ele volte com brilho e calor, amanhã ou depois.

De Augusto Küttner de Magalhães a 11.03.2010 às 14:08

Evidentemente, mas muitos perdem-se no quotidiano com o secundário, com o acessório.

Vamos tentar apostar que "isto vai positivamente melhorar"!

De Ana Filipa Oliveir a 18.03.2010 às 22:18

Amei a foto. É de sua autoria? Seja de quem for, essa pessoa está de parabéns... pela habilidade e pela oportunidade de testemunhar in loco tal momento da Natureza. Beijos.

De Zilda Cardoso a 20.03.2010 às 10:00

Muito obrigada. A foto é minha, sim. Não sei absolutamente nada de técnica fotográfica e devia saber... para ter a coragem de publicar...
Soube aproveitar o momento que foi de grande beleza e passou. Mas não passou, não é verdade? Está aí.
Há lugares de que gosto particularmente e que visito com frequência.

Comentar post





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2016
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2015
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2014
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2013
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2012
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2011
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2010
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2009
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2008
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D