Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



SILÊNCIO

por Zilda Cardoso, em 08.09.13

  

 

 

    

Não fico em silêncio, falo para mim, tanto que não me sobra tempo para falar com outros.

 

Mas, não, não fico em silêncio. Não esse silêncio.

 

Tenho muitas coisas para tratar...

 

Muitas coisas pelas quais me interessar, ver, estudar e… para dizer. Talvez vá a tempo de tomar

 

decisões já que escolhi os valores que me vão orientar. Que sempre me orientaram sem eu

 

dar por isso ou sem ter a certeza…

 

Que vasto é o mundo!

 

Por isso, continuo num silêncio perfeito, (preenchido), observando, tentando

 

compreender ainda, como se fosse fundamental, considerando fundamental tudo o que me

 

ocorre a propósito de mundo e de sentido.

 

Talvez um dia fale do que descobri.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 07:48


9 comentários

De Isabel Maia Jácome a 08.09.2013 às 10:46

Querida Zilda... como a compreendo e como sinto porfundamente as palavras que diz... que tão sábiamente partilha connosco.
Por vezes temo os meus "silêncios"... mas tal como diz, também eu me sinto em permanente diálogo comigo, com o que me cerca, com os outros, com o que leio, escuto, vivo... neste desejo imenso de descobrir mais e mais, em mim, no que me cerca, nos outros... e não é silêncio isto, pela certa... ou é precisamente o silêncio rico... esse silêncio rico de que tanto precisamos e que nos permite descobrir, tal como diz:
"Que vasto é o mundo!
Por isso, continuo num silêncio perfeito, (preenchido), observando, tentando compreender ainda, como se fosse fundamental, considerando fundamental tudo o que me ocorre a propósito de mundo e de sentido.
Talvez um dia fale do que descobri."

... e acredite, querida Zilda que, mesmo escrevendo aparentemente cada vez menos e menos vezes, creio que uma das razões será precisamente essa: a vontade/necessidade simples de descobrir profundamente o sentido do muito que vivo, do muito que a vida me oferece!... um sentir com proximidade do que tão bem diz... e que me permite descobrir uma capacidade diferente de ser feliz... vivendo, simplesmente. E... se escrever... escrevi!
Provavelmente este aparente desapego, me esteja a libertar do medo do que possa vir a sentir necessidade de dizer... escrevo apenas quando sentir essa necessidade e o tempo adequado para o fazer.... como aconteceu de forma simples, no dia em que escrevi o "desassossgo da brisa"...
Um abraço, feliz pelas sua palavras que tanto me disseram, que tanto disseram do que sinto e considero verdadeiramente importante!
Como sempre, mais uma lição que agradeço, minha querida Zilda!!
Abraço imenso e feliz,
Sempre, sempre...
Isabel

De Zilda Cardoso a 08.09.2013 às 19:02

Fico feliz por poder dar-lhe algum prazer.
Que bom para mim descobrir amigos com quem posso conversar, que compreendem o que digo e que têm... se não respostas, pelo menos, outras interrogações. Porque o importante é ter interrogações.
E as suas palavras estimulam os meus pensamentos, fazem surgir novas perguntas.
Vamos continuar, quer?

De Isabel Maia Jácome a 09.09.2013 às 14:20

Claro que quero, Zilda!... fazem-me tão feliz as partilhas consigo... estimulam-me e ajudam-me tanto!...
Creio que o sabe e o quanto é importante para mim.
E questiono-me sempre... sempre..., mesmo quando as respostas que procuro, a maioria se transformam em mais e mais questões, ás vezes fazendo doer um bocadinho, incomodando, desassossegando a pesar da necessidade imensa de paz!...
...mas creio que não sei ser de outra forma. Não tenho certezas... e só pelas questões podemos descobrir mais e mais fundo!...
Abraço cheio de carinho,
Sempre,
Isabel

De Vicente a 08.09.2013 às 11:32

Viva Zilda,

Gostei muito deste seu artigo. Sabe, que visto por um prisma invulgar, é um bem poder fazer escolhas sem ter que se preocupar com o criterio de aprovação ou acordo.

É um dom que lhe cai do Céu aos trambulhõe, e o tal silêncio, por enquanto para nós, os seus Amigos, um dia destes será substituído pelo esplendor das novas escolhas que fez para a sua vida.

Por isso, continue conversando consigo...às vezes, ou não temos tempo, capacidade ou a vida não nos deixa.

Bela oportunidade de ser feliz de outra forma, from now on.

The best of luck e cá estaremos para a acompanhar.

Um beijo amigo

Vicente

De Zilda Cardoso a 08.09.2013 às 18:55

Obrigada pela companhia.
Bela oportunidade de escolher...!
Um abraço.

De Sofia Freudenthal a 08.09.2013 às 12:16

O silêncio vale ouro. O seu silêncio é essencial. Conheço -a, compreendo-a...
E que sorte tem poder estar a "arrumar" ou a compreender (se) melhor uma vida de escolhas e decisões.
São momentos essenciais de (Re) estruturação interior....
Só estas palavras já dizem tanto..tudo....
Obrigada Zilda
Um abraço grande

De Zilda Cardoso a 08.09.2013 às 18:52

Sim, Sofia, são momentos essenciais.
Obg.

De Maria Joao a 08.09.2013 às 14:31

Zilda,

Um abraço à distância :)

Não queria deixar de partilhar um livro que li há alguns anos atrás e que ainda hoje ressoa por dentro: Elogio do Silêncio , Marc de Smedt .

Um grande beijinho e até breve ***

De Zilda Cardoso a 08.09.2013 às 18:50

Espero poder lê-lo! Obrigada.

Comentar post





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2016
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2015
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2014
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2013
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2012
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2011
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2010
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2009
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2008
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D