Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Concerto de Natal

por Zilda Cardoso, em 09.12.12

 

 

 

Assisti há dias a um concerto de Natal de algumas escolas do Porto a favor da APPACDM, instituição de solidariedade social.

O auditório estava cheio e os meninos e meninas cantaram com à-vontade as canções tradicionais desta época e algumas outras em português, em inglês, em alemão. Cada grupo, cantou as suas canções e no final houve uma “Glória” cantada em coro pelo conjunto das cinco escolas.

Com instrumentistas para flauta, piano, violino, violoncelo, uma orquestra, um grupo de guitarras… foi na verdade uma festa. No final, as crianças do Centro de Educação Especial da APPACDM ofereceram ramos de flores aos professores responsáveis pelo espectáculo.

Esta instituição, que também existe em Lisboa, está no Porto desde 1969 e tem aqui em funcionamento quatro centros de actividades ocupacionais, uma unidade de intervenção precoce, uma escola de ensino especial, um centro de atendimento, acompanhamento e animação para pessoas com deficiência e quatro lares residenciais.

Tem uma missão que procura cumprir: “promover a integração do cidadão com deficiência mental no respeito pelos princípios de normalização, personalização, individualização e bem-estar”. E também promover e defender os “reais interesses dos deficientes mentais nas instituições, no trabalho, no lar e na sociedade”.

Os seus serviços têm melhorado constantemente. Por isso, e por fomentar os laços afectivos e institucionais entre as pessoas envolvidas, merece todo o nosso apoio.

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:22


2 comentários

De Marcolino a 13.12.2012 às 11:09

Bom dia Zilda!
Cantar..., nunca foi o meu forte, não tinha voz, tinha-a em falsete descomandado, mudança de idade, quando experimentei entrar num coro do meu estabelecimento de ensino.
Teatro, foi uma experiencia muitissimo boa. Desinibiu-me e auxiliou-me a domesticar a memória... Com 13 anos entrei na minha primeira peça, numa obra de Frei Luis de Sousa, Farsa do Fidalgo Aprendiz. Isto exigia muito tempo extra curricular. Esta minha experiencia não durou mais que 3 anos. Mas foi óptimo! De tal forma o foi que, anos mais tarde, essa arte de comunicar, me auxiliou no meu relacionamento humano. Considero esta arte de representar uma das chaves mestras para a comunicação humana.
Gosto de escutar, ao vivo, certo tipo de coros, com e sem solistas. Admiro os intervenientes e delicio-me com as várias tonalidades das suas vozes.
Comovo-me ao escutar os coros infantis ou até mesmo juvenis. Não seio por quê, mas isso sempre me aconteceu.
Olhe, por estas bandas o sol ainda brilha, e bem, só que já escutei na Tv que, lá mais para o final do dias se avizinha uma borrasca, mas daquelas que nos faz recolher a casa bem mais cedo que o usual!
Tenha um dia feliz!
Marcolino

De Zilda Cardoso a 13.12.2012 às 14:59

Um coro de vozes é sempre comovente!
Considero uma experiência de teatro absolutamente fundamental para os jovens, nas escolas. Quero dizer, devia haver na escola secundária obrigatoriamente uma disciplina de teatro. A presença e à-vontade em palco, a facilidade de um discurso improvisado ou não, um relacionamento possível é proporcionado por essa experiência na juventude.
É claro que nem todos serão bons actores nem é isso que se pretende, mas é, como diz, facilitada a comunicação.
Obrigada pelas suas achegas, sempre bem-vindas.

Comentar post





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2016
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2015
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2014
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2013
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2012
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2011
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2010
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2009
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2008
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D