Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Minie, a cavaleira

por Zilda Cardoso, em 26.03.11

       

 

 A Minie é aquela das minhas netas que tem uma paixão por cavalos, sempre teve. Já tenho falado nela e na sua  paixão. Quando era bebé, tinha cavalos de peluche, agora gosta de cavalos a sério. Está a aprender a montar e, embora possa não vir a ser uma grande cavaleira, não vai deixar nunca de ser aficionada.

É alguma coisa que lhe foi transmitida decerto por avós muito longínquos, não sei de nenhum destas últimas gerações de quem possa ter herdado esse amor. Vale a pena ver o prazer que lhe dá uma carícia a um cavalo, na verdade descobre sempre uma razão que justifica a sua atitude: todos os cavalos são extraordinariamente bonitos, cheios de ternura, elegantes, atenciosos e "não comem outros animais". Gosta de os montar e  com eles correr, pela companhia, não como meio de transporte. É uma forma de estar perto daqueles que estima. 

 

  

 

Este é o cavalo da sua preferência e simpatia. Foi a sua escolha, desde há tempo, não é de raça pura, mas cruza lusitano com outro, não é importante.

 

Estivemos hoje ambas a tentar desenhar um cavalo com tanto amor que não saiu nada a nosso gosto. Para a próxima vez será.

 

 

 

                

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:55


18 comentários

De Ana a 27.03.2011 às 16:15

Partilho desta paixão.
Os cavalos...
Nota-se uma grande cumplicidade entre o cavalo e a sua neta...
E isso é o mais importante. E também o mais dificil. Parabéns...

De Zilda Cardoso a 27.03.2011 às 17:47

Obrigada, Ana.
Cumplicidade é a palavra certa.
Tenho mais do que uma Ana a comentar simpaticamente...
Será que pode acrescentar mais um nome para eu a identificar melhor? É que gostaria mesmo de saber qual das Ana é que aprecia cavalos para eu a apresentar à Minie. De acordo?
ZC

De Ana Silva a 27.03.2011 às 21:07

Posso sim senhora. Ana Silva.
Aquela citadina que trocou o rebuliço de cidade pela pacatez do campo...

De Zilda Cardoso a 27.03.2011 às 21:21

Muito obrigada.
Assim está bem, não me perco.
Que pena estarmos tão distantes, era capaz de as pôr a discutir as qualidades dos cavalos. Será que não têm nada menos interessante? A Minie acha que é tudo bom.

De Ana Silva a 27.03.2011 às 21:47

A maior parte das pessoas tem medo deles por serem grandes. Mas quando se conquistam são amigos para vida. E muitas vezes a cumplicidade é tão grande que na montada se "confunde" o animal com o homem. No bom sentido, claro.
E a sua neta está naturalmente com o cavalo. Reparou no respeito mutuo que existe entre os dois?

De Zilda Cardoso a 28.03.2011 às 08:34

Respeito, cumplicidade, consideração, carinho... entre o cavalo e o homem, entre o homem e o cavalo. Entre o homem e o homem. Desse modo, não há guerra. Não pode haver.

De CC a 28.03.2011 às 22:26

Zilda,
Eu também gosto muito de cavalos. São animais fortes sem perderem a elegância; dependendo das circunstâncias, são selvagens e meigos, esta capacidade de se adaptar às circunstâncias denotam ser animais inteligentes.
Gosto tanto deles que nos filmes de cowboys não me impressiona a troca de tiros desde que nenhum acerte nos cavalos.
Parabéns è Minie, é uma menina muito bonita e com um olhar muito expressivo.
Fique bem!

De Zilda Cardoso a 29.03.2011 às 10:49

Muito obrigada, C.C. A Minie sabe lidar com as pessoas e com os animais, talvez seja um dom. Prefere os cavalos, talvez pela sua inteligência, pela elegância, pela ternura que sabem distribuir. E que ela recebe, dando.

De Isabel Maia Jácome a 28.03.2011 às 23:11

Querida Zilda
Em criança tinha paixão por cavalos. Montava sem escola, mas com muita ousadia e paixão. Era o melhor das férias. Passear pelo pinhal a cavalo... e passar a mão pelo pelo daqueles animais fantásticos.
Em Lisboa, cavalgava pelas ruas. Fantasiava um "Cochise", solto e livre, punha a fita atravessada na testa e galgava os muros de erva do parque Eduardo VII.
A minha filha seguiu-me as pegadas, com outros requinte. Paixão desde bem pequenina, ela não se fantasiava "cochise", mas o próprio cavalo! e com paixão tamanha que, associada à minha, lá a iniciei numa escola onde, para as aulas de dressage, ela aprendia também a cuidar dos cavalos, a escová-los, limpá-los, fazer-lhes a cama... e passava lá os dias que podia e mais todos os tempos livres!
Fez-se "cavaleira", participou em espectáculos onde a arte equestre, à antiga Portuguesa, era tratada a rigor, e ela montava não só tradicionalmente, como à amazona. Ficava linda de morrer, com aquelas saias compridas, o carrapito sob o chapéu, as costas direitas, o porte seguro e o cavalo a brilhar sob ela, lindo, fantástico numa simbiose que valia a pena ver e sentir e me derretia de orgulho e espanto...
...hoje tem 26 anos... a paixão continua, mas não há dinheiro que a comporte... e para ela a equitação nunca foi um luxo.
Continua a montar... résteas de um luxo alimentado pelo professor daquela época que nunca se esqueceu dessa paixão que partilham ambos... mas que nela não é profissão.
Tenho orgulho nela e nessa paixão despida de vaidades que mantém e alimenta com o mesmo envolvimento, memso sabendo que não pode montar o tempo suficiente para manter a capacidade necessária para o nível que atingiu...
Os cavalos... animais fantásticos, nobres e de eleição nas nossas preferências e sonhos. A minha filha e eu...
Que a sua neta aproveite bem essa relação estreita com estes animais que nos ensinam tanto...
Abraço apertado e parabéns por esta neta... e todos os outros netos, cada um com as suas preferências fantásticas.
Sempre,
Isabel

De Marcolino a 29.03.2011 às 00:46

Olá, Zilda!
De tão embevecido que fiquei estou sem palavras para descrever o que me vai na alma. Esta linda menina tem tanto de si! Parabéns à grande avõ!
Quanto às fotos, despertou-me especial atenção a da égua ensinando a sua cria neste pequeno picadeiro, ao ar livre.
Parabéns Zilda!
Abraço
Marcolino

De Zilda Cardoso a 29.03.2011 às 10:37

Olá, Isabel!
Já tinha saudades dos seus comentários. Espero que esteja bem e a cumprir a sua missão de escrita.
A Minie é muito querida e, se pudesse, andava todo o seu tempo às voltas com os animais - são todos seus particulares amigos. Largaria tudo o mais para se dedicar a eles.
Os cavalos são os mais particulares dos particulares.
Um grande abraço.
ZC

De Zilda Cardoso a 29.03.2011 às 10:43


As atitudes delas são naturalmente carinhosas e inspiradoras. Também esteticamente são impecáveis.
São cultivadas e nem precisam de muitas leis...

De Laurinda Alves a 30.03.2011 às 11:26

Maravilha, Zilda. Obrigada pela partilha de ternura. Tenho saudades sua e das nossas conversas :) Abraço enorme.

De Zilda Cardoso a 30.03.2011 às 17:55

Era tão agradável a n/troca quase diária de... de... O que é que nós trocávamos, Laurie?

De Laurinda Alves a 31.03.2011 às 09:06

:) nas palavras e nos silêncios, em presença ou na ausência, à distância e nas conversas de ombro com ombro, o que trocamos sempre são as pequenas e grandes histórias de vida que revelam a substância, a verdade e a profundidade da nossa amizade! Bjs sempre com saudades :))

De Zilda Cardoso a 31.03.2011 às 11:07

É tão bom ouvi-la! Porque eu ouço-a mesmo quando apenas escreve...
O abraço habitual.
ZM

De Vantag Galeria a 04.04.2011 às 17:27

as 3 primeiras fotos conheço... pois claro até conheço o autor...
agora a última não? de onde apareceu?

De Zilda Cardoso a 05.04.2011 às 09:31

Suponho agora que estava na pág. do Facebook da Minie. Julguei que era tua, Cabecilha.

Comentar post





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2016
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2015
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2014
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2013
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2012
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2011
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2010
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2009
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2008
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D